Notícias

Evento

publicado em 08 de Agosto de 2011

VII Conferência Estadual de Saúde propõe discussão sobre os desafios do SUS

Direcionada a profissionais e gestores de saúde de todo o estado, a Conferência é uma oportunidade para reflexão sobre novas perspectivas para o Sistema Único de Saúde (SUS).

por Guilherme Amorim

Usuários, profissionais e gestores de saúde de Minas Gerais vão poder refletir sobre os desafios e as perspectivas do Sistema Único de Saúde (SUS). De 8 a 11 de agosto, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o Conselho Estadual de Saúde promoverão, em Belo Horizonte, a VII Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais. O tema é “Todos usam o SUS! SUS na seguridade social, política pública, patrimônio do povo brasileiro”.

De 08 a 11 de agosto, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o Conselho Estadual de Saúde (CES-MG) promovem, em Belo Horizonte, a VII Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais. O tema é “Todos usam o SUS! SUS na seguridade social, política pública, patrimônio do povo brasileiro”. O evento acontece na Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, nº 809), a partir das 08h.

Direcionada a usuários, profissionais e gestores de saúde de todo o estado, a Conferência é uma oportunidade para reflexão sobre os desafios e perspectivas do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, serão debatidos temas como o acesso e acolhimento aos usuários, política de saúde na seguridade social, participação da comunidade, gestão do SUS e o controle social.

Estarão presentes na Conferência autoridades, como o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, o vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde (CES-MG), Geraldo Heleno Lopes e o presidente do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG), Mauro Guimarães Junqueira. Participam da Conferência 427 municípios que atendem a mais de 90% da assistência à saúde em Minas Gerais.  Foram consolidadas 553 propostas de melhorias e aperfeiçoamentos e, na conferência, estarão abrangidos todas as macro e microrregiões do estado.

De acordo com o vice-presidente do CES-MG, Geraldo Heleno Lopes, a expectativa é que a organização consiga transformar o SUS em uma ação de patrimônio do povo brasileiro. “A gente sabe das dificuldades de acesso e acolhimento no SUS, mas as pessoas não participam desse direito democrático de influir para que esse sistema melhore as suas condições de assistência à população”, observa. Como solução, Lopes destaca a participação efetiva, no dia a dia, acompanhando os conselhos municipais de saúde no município e também a participação nas conferências. “Esse é o momento principal do SUS, com as conferências que aconteceram nos municípios e, agora, entram no âmbito nacional”, completa.

Para o vice presidente, duas questões serão fundamentais nesse encontro. Uma é pressionar os legisladores para que eles, definitivamente, votem a regulamentação da emenda constitucional 29. “Isso significa que nós teremos definidas quais são as ações que são eminentemente e determinantes para a Saúde”, afirma. Além disso, outra discussão apontada como fundamental por Lopes é como se dá o recurso humano no SUS. “Até hoje, há trabalhadores com contratos precários e isso faz com que a gente perca investimentos”, aponta. E quem perde com isso é justamente o SUS. “Enfim, nós temos que cuidar para que o sistema seja com plano de cargos, carreiras e salários. Só assim nós teremos um SUS forte”. Ainda, segundo os organizadores, ao final da conferência, será elaborado, um documento com diretrizes de ações estratégicas. O objetivo é apresentá-lo na Conferência Nacional de Saúde, previsto para novembro.

 

>> Consulte a programação completa aqui.