Abdominoplastia: riscos da cirurgia, tipos, valor e cicatriz

Integrando a lista de procedimentos estéticos que mais são realizados hoje em dia, as cirurgias para remoção de gordura do corpo tem chamado a atenção. Assim, dessa vez vamos falar sobre a abdominoplastia e quais os seus resultados.

Dessa forma, podemos entender a abdominoplastia como um procedimento estético, uma cirurgia, que visa remover excesso de gordura do abdômen. Além disso, é usado para alisamento e endurecimento da barriga, removendo estrias ou marcas pela região.

É claro que esse tipo de cirurgia pode ser feito por qualquer pessoa, mas o número de mulheres que realizam esse procedimento é infinitamente que o número de homens. Um bom indicativo para esse número é pelo fato da cirurgia ser recomendada para mulher após a gravidez.

A justificativa é bastante simples: quando uma mulher dá a luz, é natural que ocorra um pouco de flacidez na região da barriga. Por conta disso, a abdominoplastia acaba sendo muito procurada por mulheres nesse período pós-parto.

Em geral, não dizemos que se trata de uma cirurgia para emagrecimento propriamente dito, e sim para retirada de excessos. Nesse caso, há quem realize o procedimento também para retirada de gordura não só do abdômen mas da região das costas.

Da mesma forma, quando se deseja apenas alinhar algo no corpo, normalmente acaba sendo indicado outro tipo de cirurgia, para evitar fugas ao objetivo principal.

Cirurgia de Abdominoplastia: Como é feito?

cirurgia de Abdominoplastia

A abdominoplastia é realizada com um corte que vai do pelo pubiano ao umbigo. Assim, o tamanho desse corte vai variar caso a caso, com a necessidade de cada paciente.

O corte precisa ter essa individualização exatamente para garantir que não só o excesso de gordura seja removido corretamente, mas também a costura posterior.

Para realizar o procedimento, o médico aplica uma anestesia peridural, e ao todo demora até 4 horas para finalização. Além disso, outro ponto importante ainda sobre o corte é que ele pode ser realizado também acima do umbigo, quando é necessária a retirada de excessos na parte superior do abdômen.

Após toda a retirada e finalização do processo, é realizado o fechamento com adesivos ou suturas. Mais uma vez, varia de caso a caso.

Para quem deseja realizar a operação, é importante ter consciência de que não é um processo para redução de peso, e sim para reduzir volume. Ou seja, ainda que se perca gordura no abdômen, não causa redução de peso propriamente dita, para outras partes do corpo.

Tipos de abdominoplastia

Agora que você já entendeu o que é de fato esse procedimento, podemos elencar os quatro tipos de abdominoplastia.

  • Clássica: tradicional remoção de excesso de pele. Assim, o ideal é quando o paciente apresenta uma grande quantidade de pele sobreposta;
  • Extensa: como o próprio nome sugere, a abdominoplastia extensa realiza tudo que a clássica já faz. Entretanto, ocorre também a remoção nos quadris e na lombar;
  • Mini Abdominoplastia: remoção de gordura na parte inferior, no chamado pé da barriga. Nesse caso, a recuperação é simples e o processo facilitado;
  • Lipoabdominoplastia: ocorre em pacientes com gordura mais difícil de ser retirada. Nesse caso, ocorre uma remodelagem da silhueta do paciente.
Abdominoplastia: riscos da cirurgia, tipos, valor e cicatriz 1

Cada caso é recomendável para um determinado perfil de paciente. Ou seja, o ideal é pedir aconselhamentos ao médico para saber o que melhor se adequa.

Valor da Abdominoplastia

O preço da abdominoplastia pode variar de acordo com a técnica, tradicional ou mini abdominoplastia, sendo essencial a avaliação médica do caso. Em geral, o procedimento pode custar entre R$ 20 mil e R$ 30 mil, em média

Recuperação

Abdominoplastia: riscos da cirurgia, tipos, valor e cicatriz 2

Quando finaliza a cirurgia, o paciente deve permanecer em repouso e internada por 4 dias, para avaliação e acompanhamento. Além disso, algumas dores são normais para o pós-procedimento.

Alguns sintomas naturais do pós-operatório são:

  • Dores abdominais;
  • Escuridão na região operada;
  • Inchaços no abdômen;

Um ponto importante é que existe um limite para cada sintoma, ou seja, ao perceber um excesso em algum deles, o ideal é buscar seu médico. Dessa forma, pode ser realizada uma avaliação mais completa, evitando problemas futuros.

Quanto a recuperação total do procedimento, o estimado é que seja em mais ou menos 2 meses, sendo necessário o uso de faixas abdominais. Nesse caso, estamos falando de manter sempre a postura natural do corpo, evitando curvamentos que podem ocorrer.

Outra possibilidade é o uso de drenos para evitar o acúmulo de líquidos no abdômen. Mesmo assim, há pacientes que preferem se manter no hospital para que só saiam depois que não exista mais a necessidade do dreno, que dura em média 7 dias.

Algumas recomendações são:

  • 30 dias sem pegar pesos;
  • 24h depois retirar os curativos;
  • Alimentação sem alteração, com foco em fibras;
  • 30 dias de uso da cinta abdominal;
  • Drenagens linfática.

Cicatrização

Abdominoplastia: riscos da cirurgia, tipos, valor e cicatriz 3

Dentro da recuperação existe uma das grandes preocupações principalmente de mulheres:a cicatriz. Assim, elencamos os três períodos da cicatrização e como ocorre cada um deles.

  • Imediato: cicatriz com pouca visibilidade, apenas possíveis vermelhidões pelo curativo. Em média, dura 30 dias.
  • Mediato: com duração de um ano, com clareamento natural do local da cicatrização.
  • Tardio: até o 18º mês, onde a cicatriz já está em uma visualização mais definitiva, mais clareada. Além disso, já parece mais natural e a percepção de cirurgia se torna bem difícil.

Riscos da abdominoplastia

Sendo um processo operatório, a abdominoplastia naturalmente vai apresentar alguns riscos para o paciente. Mesmo assim, é considerado um procedimento simples e seguro.

Por conta disso, o mais indicado é a realização completa de exames pré-operatórios, para diagnóstico de qualquer contraindicação ou possibilidade de complicação. Além disso, o acompanhamento médico constantemente deve ser obrigatório.

De maneira geral, os riscos que envolvem a abdominoplastia são:

  • Acúmulo de líquidos;
  • Hematomas;
  • Necrose de tecido;
  • Assimetria da cicatriz;
  • Insuficiência respiratória;
  • Tromboembolismo.

Todos os sintomas apontados são extremamente sérios, e devem ser levados em consideração. Por exemplo, são riscos levantados pelo médico para que o paciente possa ter consciência e confirmar – ou não – que quer realizar a cirurgia.

Um ponto de atenção está para o acúmulo de líquidos, que ocorre em até 25% dos casos, sendo considerado um número alto.

Já quando o assunto são filhos, não existem riscos para quem deseja ser mãe depois do procedimento. Já que, em geral, a abdominoplastia não impede que isso ocorra.

Entretanto, caso o peso seja novamente descontrolado durante a gestação, todo o processo é perdido. Por conta disso, o que se indica é que realize o procedimento apenas após ter tido filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.